Análises escritas por Eddie Alessandro Miranda Carvalho

2 resultados - mostrando 1 - 2
 
Esportivas
 
Satisfação Geral 
 
10.0
 
Visual 
 
10.0
Conforto 
 
9.0
Performance 
 
9.0
Dirigibilidade 
 
8.0
Consumo 
 
7.0
Custo x Benefício 
 
10.0
Eddie Alessandro Miranda Carvalho Analisado por Eddie Alessandro Miranda Carvalho    19 de Fevereiro de 2015
Atualizado pela última vez: 19 de Fevereiro de 2015
Analista Top 500  -  

Essa moto é um clássico, não tem quem não pare para olhar ou vire a cabeça na rua para te ver passando, é status garantido com uma sinfonia de motor das mais lindas já criadas num 4 cilindros.
O porte da moto é grande, imponente, resistente, durável, diversão garantida para quem entende de moto, pode ser usada diariamente e em longas viagens, mesmo sendo pesada, passa despercebido por ser ágil e extremamente confortável, proteção aerodinâmica impecável. Vc tem duas motos em uma...uma abaixo das 5 mil rpm mansa e divertida e um monstro indomável acima das 5 mil rpm que faz o coração disparar e sair pela boca.

Eu recomendo!
Prós
Moto tem o som de 4 cilindros mais lindo já fabricado pela indústria motociclística...nem a 7 galo tem um som tão lindo, chama atenção e vira pescoço de todos por onde passar.
A moto é uma normal até as 5 mil rotações acima disso ela vira outra moto, ela endiabra e solta potência e torque que parece nunca acabar, vc desiste de chegar aos 240 por km por hora tamanha a adrenalina que passa. A bolha é perfeita, não cansa em viagens longas.
Extremamente confortável para viajar e as namoradas agradecem ao generoso banco traseiro.
Moto firme, não passar vibrações e trepidações, resistente, durável (nunca quebra), peças de altíssima qualidade.
Câmbio justo, boa autonomia, enfim deixa as 600/650 no chinelo.
Contras
O peso dela compromete nas curvas em baixa, evite usar pneus largos de medida acima de 160, original é 150 e ajuda nisso.
Ela bebe o suficiente por ser uma 750, faz 18 km/l numa tocada mista, mas tenho velas iridium que melhorou para 20 km/l.
O cabo de embreagem é um pouco duro, não importa se seja novo ou velho...é um característica da moto.
Se levar um tombo por ser toda carenada e não tiver usando um slader pode esperar que terá um sério problema de pelo menos uns 5 mil reais.
Peças fácil de achar nas autorizadas e no mercado livre, porém por ser difícil de quebrar suas peças quando quebram são caras...afinal é uma moto clássica.
Precisa ser piloto com experiência para usar ela, não possui tecnologias como ABS ou controle de tração, é uma moto pura para quem sabe andar de moto...por ter um super motor, qualquer falta de juízo ela te cobra caro por isso. Suspensão e´dura para as ruas brasileiras. Pneu acaba rápido por ter muito torque a moto, 3 traseiros (média 4 mil km) para 1 dianteiro (12 mil).

Condição do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Ano de Fabricação
1999
Tipo de uso
Lazer
Terreno testado
  • Urbano
  • Estrada
Quilometragem
98.000 Km
Manutenção
Dentro do esperado
Custo de Manutenção
Normal
Esta análise foi útil para você? 
Sim (6)Não (1)
Denunciar esta análise
Trail
 
Satisfação Geral 
 
10.0
 
Visual 
 
10.0
Conforto 
 
9.0
Performance 
 
8.0
Dirigibilidade 
 
8.0
Consumo 
 
9.0
Custo x Benefício 
 
10.0
Eddie Alessandro Miranda Carvalho Analisado por Eddie Alessandro Miranda Carvalho    19 de Fevereiro de 2015
Analista Top 500  -  

Confesso que estava em dúvida entre a XT 250 teneré e a Tornado 300 da honda...mas depois de saber dos problemas de cabeçote da Tornado 300 da honda eu desisti da compra e o fato da XT 250 não ser bi-combustível e ser beberrona perto da Xt 150 e como usaria 95% na cidade, 4% em trilhas e 1% em viagens, desisti de adquirir a XT 250 onde as peças eram muito mais caras e a manutenção desanimava, além de ser mais pesada. Estou feliz com o custo-benefício que a XT 150 oferece no dia a dia, se a Yamaha aumentasse a cilindrada para 175 cc seria ideal já que a Honda recentemente aumentou para 160 cc da NXR Bros, deixando ela mais esperta para andar na cidade.

Eu recomendo!
Prós
Extremamente econômica, já fiz medições de 44 km/l gasolina e 39 km/l no álcool puro.
Painel completo faltando apenas o relógio.
Motor moderno, durável, baixa manutenção, resistente e leve.
Conforto das suspensões, ágil nas curvas, não passa insegurança e baixa vibração e sem trepidações.
Ultrapassa com segurança as ruas esburacadas e ainda se sai bem em trilhas leves nos fins de semana...
Peças de reposição baratas e fácil de se encontrar.
Nenhum defeito apresentado e nenhuma peça trocada até os atuais 10 mil km.
ótimo freio dianteiro à disco.

Contras
Não é uma moto para viagens longas e sim para uso diário na cidade e no campo, cansa a bunda acima de 400 km pois não passa de 105 km por hora e os caminhões perturbam na estrada e nessa velocidade já tá tocando a campainha e perde um pouco da velocidade final nas subidas inclines.
A suspensão traseira poderia ter regulagem como nas XT 250 Teneré e Xt 125 e um maior curso como nas XR 250 ou TTR 250.
Altura pode atrapalhar os baixinhos mas dá para rebaixar 5 cm no garfo dianteiro.
Os retrovisores ficam numa posição que pode pegar nos retrovisores das camionetas e alguns carros SUV´s em caso de fazer cobrinhas.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Ano de Fabricação
2013
Tipo de uso
Meio de transporte
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
Quilometragem
10.000 Km
Manutenção
Fácil de encontrar
Custo de Manutenção
Baixo
Esta análise foi útil para você? 
Sim (7)Não (1)
Denunciar esta análise
2 resultados - mostrando 1 - 2
Powered by JReviews