Análises escritas por PEDRO DA CUNHA TRASSANTES

6 resultados - mostrando 1 - 6
 
Street
 
Satisfação Geral 
 
10.0
 
Visual 
 
8.0
Conforto 
 
10.0
Performance 
 
6.0
Dirigibilidade 
 
9.0
Consumo 
 
10.0
Custo x Benefício 
 
10.0
PEDRO DA CUNHA TRASSANTES Analisado por PEDRO DA CUNHA TRASSANTES    28 de Janeiro de 2015
Analista Top 50  -  

Apresenta um excelente custo-benefício. Confiável e farta em peças. Durável como honda, apesar de desvalorizar como shineray. É moto para comprar 0km e usar até que ela volte á ser minério de ferro e as partes plásticas biodegradem-se.

Eu recomendo!
Prós
É minha 5º motocicleta, porém foi a primeira 0km(Factor k1 14 mod 15), muito macia, motor sereno e homogêneo. Muitíssimo econômica. Apesar de ter MUITO PLÁSTICO, este é de boa qualidade e boa montagem. É uma legítima "city-bike", INAPTA PARA ESTRADA.
Contras
Ao meu ver, seu desempenho beira o ridículo. O câmbio é claramente dimensionado para rodar no trânsito lento e pesado, com marchas curtas que sacrificam a velocidade final e elevam demasiado o giro do motor. Apresenta um incômodo "tec-tec-tec" das válvulas, que já me fora dito por mecânicos especializados ser CARACTERÍSTICA DO MOTOR. Ok. Porém, já tive outra 125cm³(a honda fan 2008) e o desempenho e silêncio daquele propulsor eram muito elogiáveis. O pós-venda da marca também é outro ponto muito negativo. Fácil pra comprar, porém a assistência te faz perceber o quão plebeu você é ao pagar 3 vezes o que vale a moto de fato, a moto entra suja e volta suja da revisão, não há controle de qualidade do atendimento e demoram 1 dia(!!!!!) para realizar uma simples troca de óleo, sem contar os mecânicos curiosos e o atendente do pós-venda que não entende nada de moto.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Menos de um ano
Ano de Fabricação
2013
Tipo de uso
Utilitário (trabalho)
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
Quilometragem
2.000 Km
Esta análise foi útil para você? 
Sim (2)Não (0)
Denunciar esta análise
Street
 
Satisfação Geral 
 
9.0
 
Visual 
 
8.0
Conforto 
 
7.0
Performance 
 
9.0
Dirigibilidade 
 
8.0
Consumo 
 
7.0
Custo x Benefício 
 
10.0
PEDRO DA CUNHA TRASSANTES Analisado por PEDRO DA CUNHA TRASSANTES    28 de Janeiro de 2015
Analista Top 50  -  
Eu recomendo!
Prós
Moto EXTREMAMENTE POPULAR, não há problema algum com peças ou manutenção. Robusta e muito confiável. Saí de uma Intruder 250 98 para uma titan ES 150 2008, apesar dos seus 47 mil km, está com toda saúde e as poucas peças que apresentam desgaste ou mau aspecto, são fáceis de achar, de marcas de 1º linha e/ou genuínas. Tudo aquilo que a Suzuki fica devendo, honda têm com larga margem de tranquilidade, porém isso á custo do risco de furtos e roubos, mas de modo geral vale muito á pena. Não é á toa que lidera o mercado há muitos anos, com larga folga.
Contras
Suspensão demasiado rígida e consumo um pouco elevado para um motor de 150 cilindradas(apesar do bom desempenho). Peças cromadas apresentam pouca qualidade e se não cuidar, em pouco tempo a ferrugem toma conta.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Menos de um ano
Ano de Fabricação
2008
Tipo de uso
Lazer
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
Quilometragem
48.000 Km
Esta análise foi útil para você? 
Sim (0)Não (0)
Denunciar esta análise
Street
 
Satisfação Geral 
 
8.0
 
Visual 
 
7.0
Conforto 
 
7.0
Performance 
 
6.0
Dirigibilidade 
 
8.0
Consumo 
 
10.0
Custo x Benefício 
 
8.0
PEDRO DA CUNHA TRASSANTES Analisado por PEDRO DA CUNHA TRASSANTES    18 de Novembro de 2014
Analista Top 50  -  
Eu recomendo!
Prós
Foi a primeira moto que tive, em 2012, era ano/mod 2008, mas estava apenas com 5300 km rodados, foi de meu pai que trocou-a por uma CB300 e acabei comprando dele. Moto muito confiável, muitíssimo econômica e absolutamente 0 de problemas. Manutenção apenas alguns pneus furados, regulagem de corrente, troca de óleo e nada além. Vendi-a com 19 mil km, rodados em cerca de 1 ano. Ótima pra cidade, ágil, leve e de boa empunhadura. Não possui "detalhes" que possam causar problemas, é o básico do básico para se deslocar diariamente. Cumpre EFETIVAMENTE o papel de "cavalo-de-aço" pro dia-a-dia. Ótima como primeira moto da vida motociclística de qualquer um(a).
Contras
A simplicidade que ajuda, cobra seu preço em dever um melhor acabamento dos plásticos, um marcador de combustível, um conta-giros, coisas que as chinesas mais sem-vergonha trazem. Viajar é uma verdadeira aventura e teste de aptidão física e psicológica. Estabilidade é ZERO, a velocidade final é perto dos 100kmh, e a postura incita uma intensa lordose. Mas, no demais, dentro de sua proposta URBANA, cumpre 110% do que se propõe, não á toa tem a melhor fama do mercado.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Ano de Fabricação
2008
Tipo de uso
Meio de transporte
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
Quilometragem
19.300 Km
Manutenção
Fácil de encontrar
Custo de Manutenção
Baixo
Esta análise foi útil para você? 
Sim (3)Não (0)
Denunciar esta análise
Trail
 
Satisfação Geral 
 
8.0
 
Visual 
 
9.0
Conforto 
 
9.0
Performance 
 
8.0
Dirigibilidade 
 
7.0
Consumo 
 
8.0
Custo x Benefício 
 
10.0
PEDRO DA CUNHA TRASSANTES Analisado por PEDRO DA CUNHA TRASSANTES    18 de Novembro de 2014
Analista Top 50  -  

Como minha experiência se resumiu á momentos de trabalho, já que era veículo da empresa, minha análise se foca apenas nos aspectos práticos de uso, apenas acredito que seria bem vinda no lazer e em viagens curtas, porém um possível garupa sofreria um pouco pelo assento mais estreito atrás.

Eu recomendo!
Prós
Altura em relação ao solo, curso das suspensões, maciez, leveza de manobra que propicia agilidade típica de modelos urbanos pequenos, porte e comandos bem adaptados á pessoas maiores de 1,70m. Consumo condizente com a proposta, banco bem estofado propicia conforto mesmo pilotando um dia inteiro(fiz trabalhos externos numa modelo 2011 flex 150 por 6 meses seguidos). Estabilidade acima dos 100kmh é bem notável dada a proposta "trail" da moto, sem compromisso com esportividade na estrada. Os freios são muito bem dimensionados. Peças de reposição e facilidade de manutenção são pontos altos, só o sistema PGMFI ainda dificulta que mecânicos menos aparelhados executem algumas manutenções. Muitíssimo recomendada, tanto para lazer, quanto para trabalho.
Contras
Em viagens mais longas o ruído dos pneus pode gerar algum incômodo, o painel de instrumentos é de grafismo demasiado pobre e deficiente de um conta-giros, bem como merecia um farol mais forte e um melhor posicionamento dos retrovisores. Apesar de tudo isso, cumpre o que promete com eficiência.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Menos de um ano
Ano de Fabricação
2011
Tipo de uso
Utilitário (trabalho)
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
Quilometragem
55.000 Km
Esta análise foi útil para você? 
Sim (1)Não (0)
Denunciar esta análise
Street
 
Satisfação Geral 
 
7.0
 
Visual 
 
5.0
Conforto 
 
3.0
Performance 
 
5.0
Dirigibilidade 
 
9.0
Consumo 
 
10.0
Custo x Benefício 
 
10.0
PEDRO DA CUNHA TRASSANTES Analisado por PEDRO DA CUNHA TRASSANTES    04 de Setembro de 2014
Analista Top 50  -  
Eu recomendo!
Prós
Moto extremamente simples, fácil de pilotar, leve e muitíssimo econômica, fazendo até 45km/l. Autonomia excelente, com tanque de 10l, fácil rodar mais de 400km sem reabastecer. Ideal para o trânsito urbano, ágil e com boa ciclística para seu porte e proposta. Custo de aquisição muito baixo, pois com menos de 1800 reais, se compra uma Hunter em perfeito estado. Manutenção muito barata, apesar de peças Sundown terem se tornado artigos de museu, muitas peças honda e yamaha são intercambiáveis.
Contras
Chassi de aço estampado é muito frágil com torções. Se tombar, empena. Ajudado pelo fato do reforço á frente do motor não existir. Se você é pesado(a), prepare-se para fortes dores na coluna, pois o assento tem muito pouca espuma, pilotar por mais de 10 km significa sentir-se sentado no quadro. Arrancada é péssima, o câmbio alongado é bom pra velocidades "de estrada", mas compromete retomadas e arrancadas, que são mais importantes na proposta da moto. Peças sundown inexistentes e poucas oficinas se aventuram em fazer reparos nela. Apesar de tudo isso, o baixo custo de manutenção e aquisição, tornam-a compensatória no uso diário.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Ano de Fabricação
2007
Tipo de uso
Utilitário (trabalho)
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
Quilometragem
46.000 Km
Manutenção
Difícil de encontrar
Custo de Manutenção
Baixo
Esta análise foi útil para você? 
Sim (0)Não (0)
Denunciar esta análise
Custom
 
Satisfação Geral 
 
10.0
 
Visual 
 
9.0
Conforto 
 
10.0
Performance 
 
9.0
Dirigibilidade 
 
9.0
Consumo 
 
8.0
Custo x Benefício 
 
10.0
PEDRO DA CUNHA TRASSANTES Analisado por PEDRO DA CUNHA TRASSANTES    04 de Setembro de 2014
Analista Top 50  -  
Eu recomendo!
Prós
Custo de aquisição é relativamente baixo, por menos de 6 mil reais(cg fan 125 peladassa) você acha Intruder´s 250 com baixa quilometragem, boa originalidade e excelente conservação. Por ser um modelo de baixo volume de vendas, é um artigo um tanto "exclusivo", e as bem conservadas sempre chamam atenção e atraem olhares. É pouco visada pelos amigos do alheio. Tem uma ótima resistência mecânica e um rendimento em estrada excelente, subidas e descidas são vencidas sem reduções de marcha. Consumo é coerente com sua proposta. Peças de reposição são fáceis de achar e regulagens e ajustes são bem simples de ser feitos, barateando a manutenção e dando o gosto de ter uma "moto de verdade", sem exageros nem itens desnecessários. Enfim, se você quer uma "Moto", com "M" maiúsculo, a intruder 250 servirá perfeitamente.
Contras
Visual da porção traseira deixa á desejar, tanque de combustível de apenas 10,8l é ridículo para o porte e proposta da moto, no mínimo uns 18l deveria ter. Suspensão traseira macia demais, se rodar com garupa o tempo todo e for um pouco "acima do peso", mesmo na regulagem mais alta, dá fim de curso. Uma solução paliativa é a instalação de extensores no amortecedor, porém isso complica no pino de ajuste, que ficará voltado para o lado interno. No mais, como qualquer moto "não-honda", peças genuínas são caras e a facilidade de localizá-las é na internet. Aprender sobre os "vícios & virtudes" dessa moto é essencial para não cair em ciladas de mecânicos bem como aproveitar o que de melhor a moto propicia.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Menos de um ano
Ano de Fabricação
1998
Tipo de uso
Meio de transporte
Terreno testado
  • Urbano
  • Estrada
Quilometragem
27.115 Km
Esta análise foi útil para você? 
Sim (10)Não (0)
Denunciar esta análise
6 resultados - mostrando 1 - 6
Powered by JReviews