Detalhe da Análise

 
INTRUDER 250
INTRUDER 250 Quente
 
INTRUDER 250 2013-07-30 01:10:57 Vanitas
Satisfação Geral 
 
9.0
 
Visual 
 
9.0
Conforto 
 
10.0
Performance 
 
10.0
Dirigibilidade 
 
10.0
Consumo 
 
9.0
Custo x Benefício 
 
10.0
Vanitas Analisado por Vanitas    30 de Julho de 2013
Atualizado pela última vez: 30 de Julho de 2013
Analista Top 500  -   Ver todas as minhas análises

Com uma boa customizada, vira uma lenda. Pretendo alongar o quadro da minha, alongar a balança, aumentar o ângulo de inclinação das bengalas (se precisar, também vou alonga-las). Para quem curte sugestão, trocar o pneu traseiro pelo Route da Pirelli (é o mesmo da Shadow, porém aro 16) é uma boa pedida, dá um visual traseiro totalmente rebelde à moto, aumenta o conforto e melhora o jogo de inclinação da moto. Vou trocar o banco por acentos individuais, sendo o do carona removível e o do piloto rebaixado, instalar o comando avançado, trocar o guidon e o tanque por um maior e mais robusto. Como já havia mencionado, vou trocar o cano de escapamento pelos canos duplos com corte em 45º para fora. Assim que o fizer, postarei as fotos aqui.

Eu recomendo!
Prós
Apesar de ser um defeito estético em motos custom, a curta distância entre eixos te dá uma mobilidade estupenda no trânsito. É confortável, tanto com uma como com duas pessoas, macia, a posição dos braços na pilotagem é melhor do que modelos mais populares. Se esticar o acelerador e distrair, a moto te prega uma peça, é rebelde: você estica, ela responde. Pode ter tanto peças como acessórios substituíveis, facilitando a manutenção e customização. Não é uma moto visada, muitos não a acham bonita, então isso te dá uma segurança maior. O painel é simples, agregando charme ao estilo retrô, e o fato de possuir apenas um carburador facilita a regulagem, melhorando a resposta e barateando a manutenção. A fiação principal passa pela cumbuca do farol, facilitando o acesso e manutenção. Só usa juntas até o cabeçote, daí para cima usa eliminador de juntas, barateando a manutenção aí também, podendo ser feita pelo próprio dono.
Contras
Para a estrada, a curta distância entre eixos é um fator negativo, pois você explora pouco da ergonomia da Trudinha, principalmente a posição de pilotagem das pernas. Cansa quando se percorre longas distâncias. O comando avançado é uma boa opção. A ponteira de escapamento original não combina com ela (a minha, peguei já trocada, com a Papaléguas 8 da Pró Tork, que também não combina, mas é melhor que a original), portanto penso em colocar os dois canos paralelos de saída. O pisca poderia ser o de formato "Bullet" . O tanque dela é pequeno, o que é ruim tanto para autonomia como para estética, o banco também não me agradou muito. As peças originais não são tão fáceis de achar, e quando se acham, são relativamente caras. O freio traseiro não é muito preciso, mas já me acostumei com a diferença, comum em motos custom.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Menos de um ano
Ano de Fabricação
2001
Tipo de uso
Meio de transporte
Terreno testado
  • Urbano
  • Pista
Quilometragem
41.455 Km
Esta análise foi útil para você? 
Sim (8)Não (1)
Denunciar esta análise

Comentários

Powered by JReviews