Análises escritas por Luis Fernando Marinho

3 resultados - mostrando 1 - 3
 
Trail
 
Satisfação Geral 
 
8.0
 
Visual 
 
10.0
Conforto 
 
10.0
Performance 
 
10.0
Dirigibilidade 
 
10.0
Consumo 
 
10.0
Custo x Benefício 
 
5.0
Luis Fernando Marinho Analisado por Luis Fernando Marinho    18 de Dezembro de 2014
Atualizado pela última vez: 18 de Dezembro de 2014
Analista Top 500  -  

Adquiri minha motocicleta há um ano com 5.500 km e atualmente encontra-se com 36.500 km.
Durante este período tive 2 problemas chatos e difíceis de resolver: furou o condutor do fluído do freio traseiro e deu problema no chicote do farol, não acendendo o farol alto e a luz do marcador da reserva do combustível no painel da moto, além de queimar com frequência o farol baixo.
Pelo fato da manutenção ser muito cara nas concessionárias, a moto te obriga a bancar o mecânico nas coisas simples, como por exemplo, troca de filtro e óleo, pastilhas de freio, lâmpadas, bateria, enfim coisas básicas que não são difíceis de se fazer nesta moto.
Fora essas questões, a moto é muito macia, possui uma velocidade razoável nas rodovias, econômica prá caramba (já cheguei a fazer 27 km/l com gasolina aditivada, a única que uso, porque a moto ganha em autonomia com esse tipo de combustível), talvez pelo fato de ser monocilíndrica.
Muito resistente e possui bom acabamento, com alguns itens de série, como freios abs, aquecedores de manopla, protetores de mãos e rodas de liga leve.
A marca também chama muito a atenção, o que te obriga a ter um bom seguro, o que não é barato.
Ia me esquecendo de dizer um problema crônico que existe nesta moto, que é o calo da direção.
A cada 15 a 20 mil km, tem que trocar os rolamentos da caixa de direção, por que o guidão começa a endurecer, principalmente em sua posição central.

Eu recomendo!
Prós
Altura do assento para quem tem a estatura mediana, a única desta categoria, maciez, boa dirigibilidade, boa de curva e ótima autonomia.
Contras
Manutenção muito cara, principalmente nas concessionárias, dificuldade de obtenção de algumas peças.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Ano de Fabricação
2011
Tipo de uso
Meio de transporte
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
  • Pista
Quilometragem
36.000 Km
Manutenção
Dentro do esperado
Custo de Manutenção
Alto
Esta análise foi útil para você? 
Sim (1)Não (0)
Denunciar esta análise
Street
 
Satisfação Geral 
 
10.0
 
Visual 
 
10.0
Conforto 
 
8.0
Performance 
 
9.0
Dirigibilidade 
 
10.0
Consumo 
 
10.0
Custo x Benefício 
 
8.0
Luis Fernando Marinho Analisado por Luis Fernando Marinho    29 de Dezembro de 2013
Analista Top 500  -  

Realmente, a CB 300 é uma relação de amor e ódio. Ou você ama a moto ou você a odeia. No meu caso, eu demorei um pouco para acostumar, mas depois me apaixonei. Moto intermediária para quem está aprendendo a pilotar, mas aconselho começar com uma moto menor.
Para quem está acostumado com motos 125 ou 150 cc, quando pega uma CB 300, estranha muito no começo, porque é uma moto muito violenta. Possui muita arrancada devido as marchas serem curtas. Excelente em curvas. Moto valente na chuva. Resistente prá caramba e muito econômica. Ando 350 km com um tanque, entre rodovia e cidade.
Li que muitos reclamam que o motor apresenta vazamentos. A minha possui um problema nas "pastilhas das válvulas". Não é um problema muito comum, mas a cada 10 a 12 mil km, tenho que trocá-las nas revisões. São quatro pastilhas, mas geralmente tenho trocado duas de cada vez. Essas pastilhas quando gastas, prendem as válvulas, fazendo com que a moto não liga sem acionar o acelerador ou às vezes ele apaga enquanto está fria nos primeiros minutos de aquecimento. Mas, trocou essas pastilhas resolveu o problema. Não é aquele problema que fica persistindo e te incomodando. Estou muito satisfeito com a moto.

Eu recomendo!
Prós
Econômica, resistente, custo de manutenção baixo.
Contras
Sistema de freio ruim. Tem que tomar muito cuidado neste quesito. Muito visada a roubos, consequentemente, seguro muito caro tornando-se inviável.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Ano de Fabricação
2010
Tipo de uso
Meio de transporte
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
  • Pista
Quilometragem
22.000 Km
Manutenção
Dentro do esperado
Custo de Manutenção
Normal
Esta análise foi útil para você? 
Sim (0)Não (0)
Denunciar esta análise
Custom
 
Satisfação Geral 
 
5.0
 
Visual 
 
5.0
Conforto 
 
9.0
Performance 
 
8.0
Dirigibilidade 
 
10.0
Consumo 
 
8.0
Custo x Benefício 
 
8.0
Luis Fernando Marinho Analisado por Luis Fernando Marinho    10 de Janeiro de 2013
Analista Top 500  -  

Se você comprar uma Intruder 125, tenha em mente que você vai casar com a moto, porque para revender depois é um parto, ninguém quer a sua moto, nem mesmo as concessionárias Suzuki. Todo mundo vai desvalorizar a sua moto, por mais conservada que esteja.
Comprei a minha de um colega, com 15.000km e atualmente ela está com 26.000km.
É uma moto valente, apesar de possuí-la há três anos para lazer e residindo no interior, já fui para São Paulo-Capital umas 6 vezes (distância de 600km ida e volta), portanto, conheço bem a moto.
É confortável, econômica e resistente.
Quanto a parte elétrica, sempre apresenta um probleminha aqui e alí, coisas simples, mas que te toma um certo tempo, como por exemplo, queima de lâmpadas (principalmente a traseira) e gasto excessível de bateria. Não recomendo pilotar a noite, porque o farol é muito fraco, principalmente em rodovias.
Quanto a parte mecânica, a minha moto por exemplo, na rodovia quando chego perto dos 100 km/h, o motor começa a falhar e quando paro a moto, como por exemplo para abastecer, fica difícil de ligar a moto novamente, devido a alta temperatura do motor. Tenho que tentar uma três ou quatro vezes. Já mandei limpar o carburador, troquei a vela, bateria, mas essas falhas ainda persistem e se eu continuar insistindo, vou gastar mais dinheiro, até que o mecânico descubra o defeito. Sempre faço as manutenções regulares: troca de óleo, filtro, relação, freios e pneus.
Câmbio: Nunca deu problema.
Já tentei vendê-la uma vez e não consegui. Ficou três meses em uma concessionária Suzuki na minha cidade que depois acabou fechando. Agora estou tentando vender a moto novamente, para comprar uma 150cc. Pelo jeito, não vou conseguir sair da marca, porque somente algumas concessionárias Suzuki é que estão aceitando ficar com a minha moto a base de troca, mas pagam 40% a menos do que ela vale.
Portanto, devido a esses problemas eu não recomendo uma Intruder.

Não recomendo.
Prós
Valente e confortável
Contras
Valor de revenda muito baixo.
Sempre apresenta um probleminha aqui e ali, fazendo com que você perca a confiança na moto e marca.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Ano de Fabricação
2006
Tipo de uso
Lazer
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
  • Pista
Quilometragem
26.000 Km
Manutenção
Dentro do esperado
Custo de Manutenção
Normal
Esta análise foi útil para você? 
Sim (9)Não (6)
Denunciar esta análise
3 resultados - mostrando 1 - 3
Powered by JReviews