Análises escritas por Moisés Camargo

2 resultados - mostrando 1 - 2
 
Trail
 
Satisfação Geral 
 
10.0
 
Visual 
 
10.0
Conforto 
 
9.0
Performance 
 
8.0
Dirigibilidade 
 
10.0
Consumo 
 
9.0
Custo x Benefício 
 
10.0
Moisés Camargo Analisado por Moisés Camargo    22 de Fevereiro de 2013
Analista Top 500  -  

Volto com uma opinião mais amadurecida, racional e menos emocional, mas não menos apaixonado. Passou aquela febre de moto nova, mas as boas sensações continuam.
Ela me leva pra todo lugar: padaria, mercado, trabalho, passeio de fim de semana, longas jornadas, campo, praia, sítio, e tudo a um custo muito justo. Revisões baratas, a cada 5 mil Km, o que se traduz em baixo custo operacional e menos moto parada. Faz uns 23 a 29 Km/l, depende da pressa e do piloto, mas nunca consegui passar dos 30 Km/l como alguns relatam. Pra efeito de comparação, minha CG fazia de 22 a 30 Km/l de média, ou seja bebe pouco mesmo! É uma moto que apaixona quem vê, quem anda e até quem não gosta. Recomendo com louvor. Motor confiável, resistente e muito econômico. Nem senti a alta da gasolina.
Na cidade te traz o conforto de motos maiores, como bancos largos, postura ereta, joelhos pouco flexionados, suspensões macias sem prejudicar a ciclística e consumo e custo de moto pequena.
Na estrada anda bem, gasta pouco, faz muita curva. Tem ciclística de moto grande, não fosse a diferença de potência andaria junto com as F 800 e V-Strom na reta e na curva. Tem boa autonomia, tanque grande e gasta pouco. Posição de dirigir muito boa, permite horas de viagem sem muito cansaço. Só castiga um pouco a poupança. Mas nossa tolerância aumenta com o tempo.
Se tivesse que descrever a Ténéré com uma única palavra, seria VERSÁTIL

Eu recomendo!
Prós
Motor confiável, consumo, visual arrebatador, ciclística. O motor é indestrutível, econômico e muito eficaz. O visual é muito subjetivo, mas é a moto de 250 cc mais bonita do mercado, os proprietários das concorrentes podem até falar que não, mas acho que se derretem por ela. Seu comportamento na cidade é muito bom, tem conforto de moto grande e consumo de moto pequena. Alguns desavisados até perguntam se é "de cardã" ou se é 1000 rsrsrs. Na estada não é um canhão ou usina de força. Se quiser correr compre uma Ninja, não uma trail. Vai de 100 a 120 Km/h sem problemas. Faz muita curva e passa muita segurança. Farol, além de lindo, muito bom, painel completo, posição de pilotagem muito boa.
Contras
Banco duro e material do guarda-pó (sanfona da bengala) bem ruinzinho. O banco é meio desconfortável na estrada, principalmente depois de umas duas ou três horas rodando. Precisava falar para os projetistas da Yamaha que nosso traseiro não é de ferro!

Condição do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Ano de Fabricação
2012
Tipo de uso
Meio de transporte
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
Quilometragem
13.000 Km
Manutenção
Fácil de encontrar
Custo de Manutenção
Baixo
Esta análise foi útil para você? 
Sim (13)Não (0)
Denunciar esta análise
Trail
 
Satisfação Geral 
 
10.0
 
Visual 
 
10.0
Conforto 
 
10.0
Performance 
 
7.0
Dirigibilidade 
 
10.0
Consumo 
 
9.0
Custo x Benefício 
 
10.0
Moisés Camargo Analisado por Moisés Camargo    20 de Outubro de 2012
Analista Top 500  -  

Excelente companheira! Para todas as horas. Tinha uma Sahara antes (e continuo fã incondicional desta moto). Achei que fosse sentir saudade das 350cc. Contudo, os Saharamaníacos que me perdoem, mas o que perdi em potência ganhei em dose extra em dirigibilidade, dose tripla em economia e dose quadrupla em conforto. Antes de comprar pesquisei e encontrei histórias de Fazer´s - com quem compartilha o motor - com mais de 150.000 km, sem fumacear (procura uma 300 com mais de 100.00 que não fez o motor ainda, fora os apagões de motor, junta de cabeçote babado de óleo e aquele barulho de corrente batendo).
Excelente moto! Todos os amigos que andaram exaltaram o conforto e a dirigibilidade. Sem contar que tem história: Descendente consanguínea da Família Ténéré, honra seu nome com todos os atributos de uma aventureira. Há mais de 30 anos existem Ténéré´s levadas ao limite nos desertos, estradas e trilhas.
Faz muita curva! Adora uma serrinha (ainda mais se for descendo rsrsrs)!
Moto pra viajar sozinho! (Assim como na XRE) Não dá pra fazer milagre com 21 cv e 2 "kg" de torque. Não que você não possa levar a esposa ou namorada pra um passeio, mas em viagens muito longas a falta de potência deixa o clima tenso (entendam viagem longa como mais de 500km, caso contrário recomendo! Faz bem pra alma, pro corpo e pro relacionamento).
Recomendo os acessórios do Manivela, alforges da Gift, baú Givi 35l e mata-cachorro com pedaleira pra descanso: vira uma Goldwing rsrsrs.
Outra moto só a irmã maior 660 ou a V-Strom 650 e sem vender a Tézinha.

Eu recomendo!
Prós
Motor confiável e muito durável, além de econômico. Muito confortável! Com grande autonomia, quilômetros e quilômetros sem parar. Visual arrebatador, não tem pra concorrência. Ótimo acabamento. Suspensões muito eficientes. Moto muito versátil. Você pode trabalhar com ela a semana toda, viajar e/ou fazer uma trilhazinha leve no sítio. Extremamente viciante!
Faz muita curva, e excelente dirigibilidade.
Contras
Alguns pecados como duas coifas (guarda-pó ou sanfona) da suspensão com Km 8.000, mangueira do óleo com 500 Km!!! Uma certa falta de ânimo no motor, que é compensada pela economia, durabilidade e confiabilidade.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Menos de um ano
Ano de Fabricação
2012
Tipo de uso
Meio de transporte
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
  • Pista
Quilometragem
8.500 Km
Esta análise foi útil para você? 
Sim (36)Não (0)
Denunciar esta análise
2 resultados - mostrando 1 - 2
Powered by JReviews