Análises escritas por Marcellus Correa

3 resultados - mostrando 1 - 3
 
Trail
 
Satisfação Geral 
 
8.0
 
Visual 
 
8.0
Conforto 
 
10.0
Performance 
 
9.0
Dirigibilidade 
 
8.0
Consumo 
 
8.0
Custo x Benefício 
 
8.0
Marcellus Correa Analisado por Marcellus Correa    10 de Fevereiro de 2014
Analista Top 100  -  

Olá Motociclistas, venho deixar minha impressão sobre essa maravilhosa motocicleta. Eu já deixei uma opinião da minha moto anterior que era uma Yamaha XJ6F, moto muito boa e coisa e tal. Mas essa V-Strom é Show.
Vamos começar pelo

CONFORTO: que ela oferece; o banco é amplo e macio tanto para o garupa e piloto, pois para viajar longas distancias o banco ter que ser muito bom, eu tenho 1,79m 77kg e minha esposa tem 1,65 66kg e sobra espaço no assento, ela tem um bagageiro de alumínio que suporta até 10 kg, a bolha original é muito boa, tem 3 regulagens de altura, de fácil manuseio ou seja pode viajar a 140km/h ou mais sem que o vento te jogue da moto, a posição de pilotagem é ereta e relaxada, com os braços um pouco dobrados e as pernas não muito flexionadas.

SUSPENSÃO: muito boa, firme, a bengala dianteira tem regulagem de pré-carga da mola, coisa que você só encontra em moto bem mais cara e a suspensão traseiro tem 2 tipos de regulagens, são: a pré carga da mola e velocidade do retorno, funcionam muito bem, porem o curso deveria ser maior em ambos os lados, 150 mm de curso é muito pouco, para uma Big Trail, na minha opinião deveria ter pelo menos 200 mm de curso, mas em nem um momento eu senti o final de curso, mesmo carregando garupa e bagagem, ou seja a suspensão é bem firme quando precisa ser e macia quando se faz necessário, posso passar a 40km/h em uma lombada com garupa com muito conforto .

MOTOR: O motor é uma maravilha, minha moto anterior era um XJ6F, com 77cv e 6.1 de torque, porem…para mim ter toda essa força e potência somente em rotações lá em cima, depois dos 8.000 mil rpm. Na V-Strom é diferente, eu já tenho todo o torque já nos 6.000 giros e a potência lá na casa dos 9.000 mil, isso se reflete em um motor muito elástico, o motor corta com 10.000 rpm, quase uma esportiva, empolga muito o piloto inclusivo os mais experientes, então é uma moto com motor perfeito onde você tem torque em médias rotações e potência em alta, veja o caso de uma Transalp ou uma NC, ou XT, onde o pico de potência não passa dos 6mil, 7mil, a potência acaba cedo demais e junto a empolgação. O motor vibra pouco e menos ainda quando ele trabalha de médias para altas rotações e não esquenta, não cozinha as pernas do piloto, isto seria um item de conforto. Já ia me esquecendo, o som do motor ainda não decidi se gosto ou se odeio, funciona assim; em baixa rotação é bonito bem grosso, em média antes dos 5 mil é horrível, muito áspero e a partir dos 6 mil é empolgante e grave, muito bonito, mas como na maioria do tempo só se anda em médias rotações...

CÂMBIO: Muito preciso, duro, as vezes barulhento, tem 6 marchas, a 6 está mais para um Overdrive, a 1ª é muito curta, arranca fácil, fácil em uma subida íngreme carregada.
É o câmbio mais preciso que já usei. Penso em trocar o pinhão, colocar um de 17 ou 16 dentes, pois creio que não irei sentir muita falta de arrancada pelo grande torque em baixa rotação que a mesma tem, com isso a rotação do motor vai cair e assim o consumo também.

DESEMPENHO: Rodando na cidade o peso e o centro de gravidade alto faz que as mudanças de trajetória e manobras aconteça lentamente, o motor não esquenta excessivamente, na hora de estacionar tenha cuidado! peça logo para a garupa descer porque é muito peso nas pernas do piloto.
Na estrada ou rodovia é uma maravilha é onde ela foi desenvolvida para vida toda, muito segura, imponente, os carros saem da frente ao ver os grandes faróis que se aproxima, e falando em faróis eles são excelentes, iluminam que é uma beleza, inclusive tem regulagem do faxo de luz na altura e no comprimento, o motor trabalha silencioso e sem vibração, em 6ª marcha a 5.000 ou 5.500 a moto está a 120, 130 km/h e não passando desse velocidade ela faz inacreditáveis pelo peso e porte 20 km/Litro, com uma autonomia de até 350 km com um tanque que tem capacidade para 22 Litros. Nas curvas ela vai muito bem, para o tamanho e peso graças ao quadro e balança confeccionados em alumínio e suspenções firmes e multi reguláveis, ou seja na hora da curva ou freadas bruscas o chassi não oscila não torce ao ponto de assustar o piloto, mas....quem vem de outra categoria de moto ou de menor cilindrada peço cautela pois não é uma motocicleta para iniciante, ou para quem vem de outra categoria o tempo de transição, adaptação vem de forma natural para mim até um tanto lenta, eu tinha uma XJ6F e antes uma XRE e CB 300, me adaptei rapidamente na XJ, e na V-Strom a história é outra, tem que ter mais maturidade e responsabilidade, como diz uma amigo do moto clube. – “Tem que ser rapariga de estrada”.
Então fica a dica; primeira moto grande - ESQUEÇA

Em estrada de terra, calçamento(paralelepípedo), buracos, valetas, estilo mais Off-Road a moto se comporta de maneira razoável, pela suspenção não ter muito curso e ser um pouco firme o conforto nessas situações não é igual a estar a bordo de uma Ténépé 660z, resumindo a moto é mais ON do que OFF. Tenha cuidado com lombadas clandestinas ou obstáculos da mesma altura, a moto é muito baixa e raspa com facilidade o cano do escapamento e isso limita muito o uso fora de estrada.

PROTEÇÃO. Como eu já disse a moto tem um centro de gravidade muito alto e o peso elevado e para ela tombar é muito mas muito fácil na minha moto tem um protetor de carenagem, slider na balança e protetor de cárter e esse último que ditei é o mais sacrificado pela pouca distância do solo que a moto oferece.

MANUTENÇÃO. A minha está com 40 mil já vi v-strom por ai com 120 mil km rodados e dizem que não quebra! Manutenção periódica somente óleo, filtro FRAM que é bom e barato, pastilha de freio, tração que custa em média 500 reais que dura 30 mil (sendo muito bem lubrificada)....ouse seja, NÃO DA MANUTENÇÃO!

Eu recomendo!
Prós
Consumo - Recursos das Suspensões - Preço - Conforto piloto e passageiro - Autonomia - Liquidez - Torque - Farol - Espaço - Custo Beneficio
Contras
Peso - Distancia livre do solo

Condição do Teste

Tempo de Uso
Menos de um ano
Ano de Fabricação
2010
Tipo de uso
Lazer
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
Quilometragem
40.000 Km
Esta análise foi útil para você? 
Sim (35)Não (0)
Denunciar esta análise
Trail
 
Satisfação Geral 
 
5.0
 
Visual 
 
6.0
Conforto 
 
6.0
Performance 
 
4.0
Dirigibilidade 
 
7.0
Consumo 
 
9.0
Custo x Benefício 
 
5.0
Marcellus Correa Analisado por Marcellus Correa    29 de Outubro de 2012
Analista Top 100  -  

Comprei a moto em Janeiro de 2010, até então antes do lançamento dela tinha a NX4 Falcon na época para mim estava cara, tinha a XR250 Tornado porem muito feia e a XTZ 250 Lander, eu estava decidido em comprar a Lander, mas pouco tempo antes teve inicio da campanha da Honda com o lançamento da XRE e CB 300, pensei que fosse um bom negócio esperei e comprei a XRE.
Os problemas começaram com 6 meses de uso, os problemas foram: BATERIA, CORPO DO ACELERADOR, VAZAMENTO DE ÓLEO e outros que eles me disseram que eu esqueci, ao todo ao longo de 1 ano foram 7 entradas na concionatória por conta desses problemas a moto me deixou 2 vezes na rua!!
Eu entrei com um processo Judicial contra a Honda e a concessionaria, em menos de 2 meses o Juiz determinou que a Honda Trocasse minha moto por uma outra do mesmo modelo e cor 0Km e assim foi feito, peguei uma 2011 0Km, mas infelizmente ela apresentou alguns dos mesmos problemas que a outra. levei em um mecânico de confiança ela sanou o problema e vendi a moto e comprei uma YAMAHA!! o processo ainda corre na justiça.

Não recomendo.
Prós
É excelente na cidade, passa entre os carros com a maior naturalidade, buracos, valetas, meio-fio, passa que é uma beleza, é muito econômica, andando devagar entre, 4.000 e 5.000 mil rpm ela faz 30km/L e andando rápido ela chegou fazer 27km/L. O banco para o garupa é confortavel
Contras
A suspensão é muito dura, porem com um bom curso na dianteira, na traseira quando está com garupa de aproximadamente 60kg a suspensão desce muito e a frente fica leve dificultando a dirigibilidade, se a suspensão tivesse pelo menos uma regulagem de pré-carga isso não ocorreria.
O cambio é bom, deveria ter uma 6ª marcha, não tem força em baixa rotação é horrível, sempre tem que esta reduzindo.
O motor poderia ter melo menos 30 cv pois 26 é muito pouco para o porte da moto e para o uso rodoviário. a velocidade máxima comigo foi de 144 km/h deitado no tanque. E para viajar a velocidade média é de 110-115 km/h pois passando disso força muito o motor e faz muito barulho.
O acabamento é regular

Condição do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Ano de Fabricação
2010
Tipo de uso
Utilitário (trabalho)
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
Quilometragem
4.000 Km
Manutenção
Fácil de encontrar
Custo de Manutenção
Alto
Esta análise foi útil para você? 
Sim (36)Não (15)
Denunciar esta análise
Esportivas
 
Satisfação Geral 
 
8.0
 
Visual 
 
9.0
Conforto 
 
6.0
Performance 
 
7.0
Dirigibilidade 
 
8.0
Consumo 
 
8.0
Custo x Benefício 
 
10.0
Marcellus Correa Analisado por Marcellus Correa    04 de Outubro de 2012
Atualizado pela última vez: 11 de Fevereiro de 2014
Analista Top 100  -  

Muito confortável para categoria somente para o piloto, ainda mais que ela conta com ajuste de altura do guidão, o banco é macio, a carenagem e a bolha desvia bem o vento, mas se você tiver menos de 1,80m vai ficar mais protegido ainda. A Suspensão dianteira é rígida em algumas vias incomoda ela merecia uma regulagem igual na Bandit, a traseira tem 7 regulagens e está de parabéns inclusive com garupa.

O chassi é regido, mas em curvas mais radicais com garupa ele assusta um pouco com a torção que sofre, o farol ilumina bem, mas com peso de garupa o farol alto ilumina as copas das arvores, falta uma regulagem pra isso

O motor e que MOTOR!. No início eu iria comprar uma Honda Hornet 2010 ou 2011 usada porque eu estava "cego" pelos 102cv, suspensão dianteira invertida, balança e quadro de alumínio, porem você só tira 100% desse conjunto em um circuito fechado e com muita experiência, e eu tive a chance de dar uma volta na Hornet e vi que ela só é impressionante em altas rotações depois dos 9.000 mil rpm e em baixa rotação é muito lenta, fraca, simplesmente não tem torque!; E pelo mesmo preço eu compraria uma XJ6F 0km, e eu fui de XJ, e até agora não me arrependo, o motor é fantástico! boa força em baixa rotação independente da marcha engatada, só para vocês terem uma ideia; eu estou em 6º marcha a 120km/h diminuo a velocidade por conta de lombada eletrônica passo a 40km/h ainda em 6º marcha, ela retoma a velocidade com uma desenvoltura impressionantemente e se você quiser adrenalina estique as marchas porque ai ela mostra o DNA DA R6! a aceleração é linear até os 9.000 rpm, passando disso ela grita e empurra muito, eu viajo com minha esposa a uma velocidade média de 140 a 150km/h, da para ir tranquilo com motor sobrando. As revisões são a cada 10mil km e não são caras o consumo de gasolina é razoável ela faz 20km/L não passando dos 6.000 a 6.500 rpm nestas condições ela está entre 120-130km/.

O garupa não vai confortável, eu tive que modifica o acento do garupa, deixando ele um pouco mais largo, um pouco menos inclinado e com muito mais espuma, pois o original é muito ruim, mas hoje a empresa ERE Bancos já disponibiliza um banco especial para XJ6, o painel deveria vir com um indicador de marcha pois o motor é muito elástico, e eu ainda nunca sei quando estou na sexta marcha, você tem que olha no conta giros para saber, porque no início eu estava na quinta marcha achando que era a sexta, e na sexta várias vezes tentei engatar a inexistente 7º marcha, hoje já estou mais acostumado, falando ainda do cambio ele é duro e não é muito preciso e a 6º marcha é muito curta.

Resumindo é uma motocicleta muito boa, eu recomendo para quem quer subir de cilindrada, e quer uma moto 4 cilindros com o melhor custo benefício. Ela tem poucas concorrentes na minha opinião ela só tem mais diretamente uma concorrente que seria a GSX650F, teria mais duas motos nos extremos que seria a Ninja 650 com 2 cilindros e a CBR600f muito mais esportiva e 6 mil mais cara.
Então para viagens curtas e médias com estrada de excelente pavimentação e sem garupa é a MOTO, eu sentia muitas dores nas costa e nos punhos quando viajava com minha esposa andávamos no máximo 400km e ficávamos “quebrados”, hoje tenho uma Suzuki V-Strom 650 e estou apaixonado, só troco por outra. Não tem pra onde correr motos Big Trails são as melhores motos do mundo, vão para qualquer lugar com garupa ou sem, asfalto ou terra, chuva ou sol....

Eu recomendo!
Prós
Conforto para médias viagens – Motor – Visual – Custo Benefício – Liquidez – Manutenção – Centro de Gravidade Baixo - Ronco – Consumo
Contras
Cambio Duro e curto – Suspensão Dianteira Dura e sem regulagem – Preço Peças – Formato do tanque - Pouco espaço – Banco para o Garupa terrível .

Condição do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Ano de Fabricação
2012
Tipo de uso
Lazer
Terreno testado
  • Urbano
  • Terra
  • Estrada
Quilometragem
1.800 Km
Manutenção
Fácil de encontrar
Custo de Manutenção
Baixo
Esta análise foi útil para você? 
Sim (37)Não (0)
Denunciar esta análise
3 resultados - mostrando 1 - 3
Powered by JReviews