Análises escritas por Vinícius de Melo

3 resultados - mostrando 1 - 3
 
Custom
 
Satisfação Geral 
 
10.0
 
Visual 
 
9.0
Conforto 
 
9.0
Performance 
 
10.0
Dirigibilidade 
 
9.0
Consumo 
 
9.0
Custo x Benefício 
 
9.0
Vinícius de Melo Analisado por Vinícius de Melo    22 de Agosto de 2013
Analista Top 500  -  

Minha primeira impressão com a postura de pilotagem nessa moto não foi das melhores, por conta do tanque largo, mas depois me acostumei.

Peguei a moto usada com menos de seis mil quilômetros e até o momento não tive grandes dores de cabeça. Problemas elétricos, tive com a queima do retificador e alguns fios que rasparam no pneu novo (acredito que o Commander II tenha medidas diferentes do ME77).

O antigo dono teve problema na ECU que foi substituída em garantia e ainda instalada uma caixa de proteção.

Uma boa moto, mas se você pega muito trânsito, aconselho substituir o guidon original por um modelo um pouco mais estreito (usei um CBII), isso já ajuda bastante, lembrando que nunca terá a mobilidade de uma CG. Por outro lado, já passei com facilidade onde outras customs tiveram dificuldade e nunca precisei ralar a pedaleira em curvas.

Não considero o preço dela tão bom assim, mas infelizmente a única moto que chega perto de concorrer com ela (com especificações inferiores) custa quase a mesma coisa, sem concorrência o preço nunca irá baixar.

Do meu ponto de vista, o que falta nesta moto é sexta marcha.

Eu recomendo!
Prós
Motor forte, boa resposta atingindo e sustentando velocidades interessantes para uma 250 cc.

Painel completo, com conta giros, indicadores independentes de pisca, farol alto, ponto morto, dois odômetros parciais e um total, relógio e ajuste de intensidade de luz para o display.

É uma moto bonita, mesmo eu não sendo muito fã do estilo mais clássico.

Bom acabamento.

Tanque de 14 litros tem boa autonomia.

Os freios são bons, mesmo o traseiro sendo tambor.

Boa compatibilidade de peças com outras motos e existem algumas peças paralelas para ela, como relação, cabos, corrente de comando, etc.

Relativamente econômica, consigo manter média de 26 km/l andando tranquilamente.

Muito confortável para o piloto, mas nem tanto para o garupa, é aconselhável trocar o banco, embora já tenha visto bem piores.

Farol forte, ilumina bem mesmo com lâmpadas "Standard".

Piscas com coxins bastante flexíveis, em caso de esbarrar em algo (como um carro no estacionamento) eles entortam ao invés de desencaixar ou quebrar.

Fácil acesso as ferramentas embaixo do banco, que é liberado usando a chave da moto o que dificulta um pouco caso algum espertinho queria levar seu kit embora, embora esse kit não seja tão rico.

Bujão de drenagem magnético, ajuda a reter o metal misturado no óleo.

Os comandos ficam em uma boa posição, pelo menos para mim não necessita avanço.

Comandos elétricos até o momento se mostraram bons e práticos.
Contras
Valor de algumas peças de reposição alto.

O espelho original plano é péssimo, tanto que troquei pelos da Intruder 2012. O engraçado é que a Mirage 150 tem espelhos semelhantes e convexos. São fornecedores diferentes, mas poderia padronizar uma peça barata como o espelho.
Não vem com cavalete central e o mesmo custa caro tanto na concessionária quanto o da Roncar.

O pneu traseiro é um pouco difícil de calibrar, por isso é interessante colocar um bico em "L" ou um adaptador.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Menos de um ano
Ano de Fabricação
2010
Tipo de uso
Meio de transporte
Terreno testado
  • Urbano
  • Estrada
Quilometragem
23.500 Km
Esta análise foi útil para você? 
Sim (7)Não (0)
Denunciar esta análise
Custom
 
Satisfação Geral 
 
8.0
 
Visual 
 
7.0
Conforto 
 
7.0
Performance 
 
8.0
Dirigibilidade 
 
9.0
Consumo 
 
9.0
Custo x Benefício 
 
9.0
Vinícius de Melo Analisado por Vinícius de Melo    25 de Agosto de 2012
Analista Top 500  -  

Uma boa moto para uso diário, como ir ao trabalho ou a faculdade.
Não tem a mesma potência de outras 125, perde mesmo para sua irmã Yes 125, mas atende a necessidade de transporte.
Não é muito confortável se você tiver 1,80 de altura, mas não é insuportável.
Atinge uma velocidade aceitável na estrada.
Revisões e peças são caras como em qualquer concessionária, mas não tive dor de cabeça (pelo menos em Guarulhos sempre fui bem atendido), o chato é não encontrar muita coisa paralela, mas se não ocorrer algum acidente ou imprevisto, as peças que desgastam são encontradas na moto peças, como filtro de óleo, relação, cabos, etc.

Eu recomendo!
Prós
Econômica.
Fácil de passar no corredor.
Silenciosa.
Estilo clássico (lembra motos dos anos 80, mas com acabamento mais arredondado).
Piscas relativamente resistentes.
Painel com conta giros e mostrador de marcha em posição de fácil leitura.
Espelhos resistentes.
Rodas bonitas
Bons amortecedorers.
Paralamas metálicos
Relativamente confortável para o garupa.
Chave de partida com posição de estacionamento, que libera a chave mas mantem as luzes acesas para sinalizar em paradas rápidas.
Comandos elétricos robustos.
Cambio macio
Embreagem leve
Cambio com boa diferença entre as marchas ajuda no desenvolvimento da velocidade.
Contras
Os modelos mais novos perderam potência.
Até o modelo 2011 a lanterna era horrível.
É difícil trocar algumas peças em casa pela primeira vez (parece que colam os parafusos).
Espelhos até o modelo 2011 não tinham visibilidade tão boa.
Peças originais caras e dificuldade para encontrar paralelas.
Pelo menos na 2008 o freio dianteiro deixa a desejar
Não é confortável para pessoas de estatura média.
Trava do guidon (2008) em posição onde é fácil quebrar a chave por esquece-la no miolo e virar o guidon.
Tanque pequeno
Manoplas desconfortáveis.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Ano de Fabricação
2008
Tipo de uso
Meio de transporte
Terreno testado
  • Urbano
  • Estrada
Esta análise foi útil para você? 
Sim (1)Não (2)
Denunciar esta análise
Custom
 
Satisfação Geral 
 
7.0
 
Visual 
 
8.0
Conforto 
 
8.0
Performance 
 
7.0
Dirigibilidade 
 
8.0
Consumo 
 
5.0
Custo x Benefício 
 
2.0
Vinícius de Melo Analisado por Vinícius de Melo    25 de Agosto de 2012
Atualizado pela última vez: 25 de Agosto de 2012
Analista Top 500  -  

A moto é muito gostosa de pilotar, mas a minha veio “premiada”.
Inicialmente veio vazando óleo por causa de um erro de montagem e a primeira revisão ineficaz, também veio com o quadro podre e foi a maior dor de cabeça para trocar.
Depois descobri que a moto veio com a Valvula Pair com defeito e o fato foi negligenciado nas revisões, o que causava pipocos no escape.
Eu abandonei a garantia com 6000 km pq não aguentava mais pagar caro por serviços tão ruins.
O Pneu dianteiro veio montado ao contrário do sentido de rotação.
Além disso, o manual do proprietário parece se referir a outra moto, tamanha é a quantidade de erros e contradições com ele mesmo e a empresa nega que existam erros.
A moto tem diversos pontos ruins, alguns contornáveis outro nem tanto, alguns dos meus problemas não ocorreram com o pessoal do meu grupo, mas é pela falta de profissionalismo da empresa que importa a moto da china para cá que não a recomendo.
O que vale a pena nessa moto é comprar usada, pois o preço de revenda dela é baixo e você pode usar a diferença para resolver alguns defeitos crônicos.

Não recomendo.
Prós
Conforto para o piloto (boa postura, principalmente com guidon mais alto).
Bonita
Vem com bons pneus
Ajudou-me a aprender mecânica e garimpar um monte de peças compatíveis para ela.
Alto índice de compatibilidade com peças de outras motocicletas.
Bateria com boa durabilidade (pelo menos a minha durou três anos)
Elemento do filtro de ar barato.
Pedaleiras confortáveis (pelo menos mais do que a maioria).
Bom freio dianteiro.
Relação original com boa durabilidade (quando não apresenta folga na coroa).
Tanque com 12 litros.
Manoplas confortáveis.
Desempenho do motor dentro da média.
Espelhos com boa visibilidade.
Contras
O manual de instruções contém diversos erros em relação a especificações da moto, tanto na parte mecânica, estrutural ou elétrica.
Velocímetro tem erro muito acima da média, com mais de 20% de diferença entre a velocidade mostrada e a real.
Piscas de baixa qualidade: apresentaram mau contato e rachaduras, possuem vedação insatisfatória.
O banco do garupa é muito desconfortável.
A moto é vendida com bagageiro, mas aparentemente não deve ser utilizado, pois a garantia é invalidada com o uso de um bauleto.
Entra água pelas costuras de ambos os bancos, deteriorando a espuma e a parte elétrica que fica abaixo do banco do piloto.
Registro de combustível de baixa qualidade: Precisou ser trocado antes dos 6000 km.
Péssimo pós venda: Revisões, garantia, tudo o que precisei por parte da empresa foi de péssima qualidade.
Consumo alto, mesmo desconsiderando o erro do velocímetro, já chegou a fazer 28 km por litro, com o máximo de 31. Se considerar a quilometragem real o consumo fica maior.
Amortecedores traseiros deixam muito a desejar: não absorvem bem os impactos e não suportam muito peso, quando a moto é utilizada próximo de sua capacidade máxima, é comum a suspensão chegar no limite.
Algumas peças tem preço muito acima da média se comparado a concessionárias de outras marcas.
Dificuldade em encontrar peças separadas na concessionária (se você precisar de um guarda pó da bengala, será obrigado a comprar a bengala inteira).
Peças plásticas frágeis: capa do marcador de marcha e protetor de corrente trincaram antes dos 10000km.
Farol de baixa qualidade: Precisei colocar borracha entre o globo e o aro para evitar barulho de vibração.
Parte elétrica deixa a desejar: com 6000 precisei trocar o cachimbo da vela e aos 25000 precisei trocar o chicote devido a diversos maus contatos. Entra água nos comandos elétricos, o que pode ocasionar o ligamento indesejado do pisca alerta ou o mau funcionamento do pisca ou da buzina.
Rolamentos deixam a desejar: precisei trocar os do motor com 26000 e alguns mils kms depois os da roda dianteira que estavam podres.
Transmissão problemática: Em alguns casos a moto apresenta folga na coroa, o que causa desgaste prematuro nos coxins (que por sinal são bastante caros), ainda causa problemas com a corrente de transmissão (a minha precisou ser trocada com 11000 por conta de torção que ocorreu devido a esse problema).
Câmbio deixa a desejar na diferença entre a primeira e a segunda marcha.
Câmbio duro se utilizado com a quantidade de óleo especificada no manual.
Relação original muito curta: Faz com que a moto trabalhe com giro mito alto.
Coxins deixam a desejar: a maior parte deles já foram trocados por ressecamento ou rachaduras.
Porta ferramentas inseguro: A borracha que segura as ferramentas ressecou antes dos 10000 e quase perdi as ferramentas.
Espelhos frágeis (trincam no ponto de fixação).
Soldas deixam a desejar.

Condição do Teste

Tempo de Uso
Mais de um ano
Ano de Fabricação
2008
Tipo de uso
Meio de transporte
Terreno testado
  • Urbano
  • Estrada
Quilometragem
38.000 Km
Esta análise foi útil para você? 
Sim (45)Não (2)
Denunciar esta análise
3 resultados - mostrando 1 - 3
Powered by JReviews